segunda-feira, 11 de outubro de 2010




e ei-los enredados numa discussão interminável acerca das mulheres, pretendendo um que elas eram boas e o outro que eram más, e ambos com razão; um, que eram parvas, o outro, cheias de espírito, e ambos com razão; um, que eram falsas, o outro, verdadeiras, e ambos com razão; um, que eram belas, o outro, feias, e ambos com razão; um, que eram tagarelas, o outro, discretas; um, que eram francas, o outro, dissimuladas; um, que eram ignorantes, o outro, esclarecidas; um, que eram sérias, o outro, libertinas; um, que eram loucas, o outro, sensatas; um, que eram altas, o outro, baixas; e ambos com razão.



para as meninas do jogo de ping-pong da semana passada : )



(denis diderot - jacques o fatalista, 1796)

9 comentários:

menina de porcelana disse...

é um post fantástico. fenomenal. bestial! porque chega de meter tudo na mesma caixa insossa. viva a variabilidade! :)

maria disse...

- Pois - disse Mr. Ledru - eu cá aceito.
- Também eu - disse Alliette.
- E eu também - disse o abade.
- E eu também - disse o cavaleiro Lenoir.
- Também eu - disse eu.

"Os Mil e Um Fantasmas", A. Dumas

henedina disse...

Todos somos iguais.
(mas há alguns mais iguais do que outros ;)

Agora a sério. Só existe um homem mau se houver uma mulher a deixar que ele seja mau e vice-versa.
Há mais vida para além do deficit...

maria disse...

- ...o incipit.

Zé o Caçador disse...

de facto, o pinguepongue é um jogo estranho.

ana barata disse...

será que algum deles vai deixar a bola cair no chão? ou não?

Windtalker disse...

Em resumo (de dois posts e inúmeros comentários):
O alfa e o ómega das relações entre os sexos!

ci disse...

e quem é que ficou de apanhar as bolas? :)

Anónimo disse...

o quem-és-tu-romeiro-?, ci: )
(filipa)