quarta-feira, 1 de junho de 2011





às urnas de esquerda, cidadãos!




16 comentários:

José Luís Espada Feio disse...

rapidamente e em força! (como dizia o outro...)

Filipa Júlio disse...

sim!

José Luís Espada Feio disse...

PS: espera-se que por aí, pela "Lusa Atenas" os cidadãos sigam o repto, contrariando as "sondagens". para que se eleja quem efectivamente faz falta à região e ao país.

m.a. disse...

Desta vez?... não há finest stones que a salvem! Vai mesmo para a urna...

the dear Zé disse...

exactamente pá.
só que... vamos ver e, mais uma vez ficar fod.. perdão, lixados.

henedina disse...

Que esquerda?
PS é/foi de esquerda?
BE, lamento se és Filipa, são betinhos de esquerda.
A esquerda nestas eleições foi só a que subiu (tem infelizmente o onus de não aceitar o premio Nobel da paz...).
Votar esquerda, é o quê?

Filipa Júlio disse...

henedina,
PS e esquerda na mesma frase é demasiado confuso para mim
: )

euexisto disse...

sou de esquerda. votei CDU pela primeira vez. antes votava bloco. o bloco nem pensar (betinhos, ricos de esquerda, hipócritas), o PS é para rir, o PC são ignorantes teimosos e arcaicos, mas ao menos são esquerda. pura. gentinha, povo, bichos do mato, a base da pirâmide. quem passa fome é do meu partido.

euexisto disse...

"A CDU foi quem pagou menos pelos seus votos, já que gastou 100 mil euros na campanha, o que se traduziu em 0,22 euros.

Em sentido oposto, o Bloco foi quem mais pagou pelos seus votos, já que gastou 704,8 mil euros na campanha, o equivalente a 2,44 euros por cada voto."

700 mil, tanto como o CDS. para quem se diz amigo dos pobres, anda a esbanjar muito.

henedina disse...

"PS e esquerda na mesma frase é demasiado confuso para mim"
O problema não é ser confuso para ti o problema é que ser confuso para todos :)

henedina disse...

é ser confuso para todos...hipoglicemia

ana barata disse...

Parece que o apelo não foi ouvido e sentido....
agora que os deuses nos acudam.

José Luís Espada Feio disse...

"diabolizar" o bloco pela vitória da direita (como muitos têm feito) talvez não seja o melhor rumo para, desde já, se começar a alicerçar uma verdadeira alternativa de esquerda para o futuro que virá depois do caos que se aproxima. como rotular o seu eleitorado, que rotular e generalizar é sempre redutor. e o mais curioso, é que daqui a 2 ou meses "ninguém" votou PSD, PS e CDS..

Anónimo disse...

euexisto, concordo com a maior parte do que escreves, apesar de achar que a barriga vazia nunca foi a melhor conselheira nas decisões políticas/económicas/sociais/etc...
e sim, são imorais as verbas astronómicas derretidas em propaganda política.

ana barata, oremos à santa rita de cássia (mas acho que nem ela nos poderá valer...) : )

josé luís, concordo.
mas o manuel alegre ficou o meu grão na asa até hoje e a amnésia selectiva não funcionou.
de qualquer modo, em épocas de tudo ou nada, julgo que será normal voltar à dicotomia esquerda/direita nos partidos que tradicionalmente a representam. isso explicará a votação cdu e a votação cds nestas eleições (para além do castigo ao sócrates, e blá blá blá e blá blá blá).
o que me dá que pensar (e amedronta) é o aumento de votos de partidos como o pnr, por exemplo.

(filipa)

José Luís Espada Feio disse...

@Filipa: o (triste) "factor Alegre" foi determinante para o resultado do BE, não tenho a menor duvida: basear uma posição política numa incongruência (apoiar o candidato do partido a que se opunha) só poderia resultar em desastre - e por isso perdeu votos para os brancos, para a abstenção e, em parte (palpita-me), para o PAN (que obteve uns surpreendentes 57.000 votos). O facto de não ter conseguido desmontar eficazmente a (falsa) acusação de "coligação negativa" com a direita que o PS (com alguma astúcia) lhe imputou, também terá tido o seu peso. mas não acho que tenha perdido (muitos)votos à esquerda (CDU praticamente manteve) nem à "pseudo" esquerda (PS desceu), o que indicia que não se tenha finado, como muitos (à esquerda e à direita) desejariam. Os tempos modernos de agora (tal como os do visionário Chaplin) demonstram claramente que faz todo o sentido a dicotonia "esquerda/direita", acima de tudo para se poder defender uma alternativa ao neo-liberalismo que tudo e todos devora e, sobretudo, contra aos perigos dos PNRs, que nestas alturas sempre ressurgem das catacumbas escuras.

Anónimo disse...

de acordo, José Luís. e sim, conheço algumas das 57 000 pessoas que votavam BE e que, agora, votaram PAN.
(filipa)