segunda-feira, 25 de julho de 2011






- passa-se alguma coisa consigo? - perguntei com precaução.
- passa-se - disse ele - que me arrependo de tudo, de tudo, arrependo-me de tudo, mas não se preocupe porque já me passa.





(juan josé millás - os objectos chamam-nos, 2008)

4 comentários:

Kalkito disse...

“as coisas estavam ali, para quê manipulá-las?”.

Foi como um raio que já passou
Foi como a lua, solta no ar
Que ilumina e volta apagar...

the dear Zé disse...

pois olha, é mais ou menos assim

(esta nossa educação pelo remorso...)

menina de porcelana disse...

(se há coisa que gosto muito é o estado de mente do "já me passa"... :) )

Filipa Júlio disse...

tentemos não nos passar com a passagem do que estiver a passar.