quinta-feira, 26 de agosto de 2010












de cem em cem metros o mundo muda, dizia florita almada. essa coisa de haver lugares que são iguais a outros é mentira. o mundo é como um tremor.


(roberto bolaño - 2666, 2004)

9 comentários:

Susana disse...

E ainda bem, acrescento eu...

José Luís Espada Feio disse...

é sempre estimulante voltar a mergulhar nas ambiências do 2666 (um grande livro..em todas as acepções do termo)

Anónimo disse...

Susana, pois, se soubermos lidar com isso : )

José Luís, de pleno acordo - ainda tenho as marcas na barriga deste livro que com a vida inteira lá dentro : )

(filipa)

Zé Caçador disse...

Grande poste. Chapéu.

Anónimo disse...

obrigada, Zé Caçador
(com vénia agradecida)
: )
(filipa)

ana barata disse...

já dizia o poeta que todo o mundo é composto de mudança....

menina de porcelana disse...

tantas mãozinhas. tantos lugares. e a mesma métrica. 1 Kg de chumbo e um de algodão... podemos nós medir as coisas da mesma forma?

repito o "ainda bem" da Susana. e "lidar com isso" é a chave para tudo...

(que coisa linda. das tuas pulsações mais inspiradas! :)

Anónimo disse...

: )
(filipa)

A. Marques-Rodrigues disse...

Gostei de achar Bolaño citado entre tua fita métrica. E quanta coisa boa ainda cabe por aqui, hein?