segunda-feira, 14 de junho de 2010




- a cidade de nova iorque é um inferno - disse uma velhota do midwest que vivia comigo no hotel algonquin. ou melhor, tinha um quarto no mesmo andar do nosso e usava o elevador ao mesmo tempo que nós.
- nunca me senti tanto em casa como em nova iorque - respondi.
- até pode ser verdade - retorquiu a velhota do midwest.



(brendan behan - nova iorque, 1964)

5 comentários:

ci disse...

e preparada para caminhar, caminhar , caminhar e não querer parar...

José Luís Espada Feio disse...

são as dicotomias urbanas a operar, independentemente das pátrias em questão.
Por vezes, acontece-me como a velinha do Midwest, quando regresso à cidade grande vindo da quietude do Alentejo...
Outras, sinto-me em casa, mal avisto a ponte.

Anónimo disse...

ci,
quilómetros
e quilómetros
e quilómetros
e quilómetros
e ...
(não me lembro de alguma vez ter caminhado tanto : ) )

José Luís, dicotomias a operar ou as diferenças no nosso nível de tolerabilidade ao calor das chamas do inferno : )
(filipa)

ana barata disse...

e olhar, e ver, e olhar, e ver, e caminhar :), ao mesmo tempo. ou parada a uma esquina, ou sentada no central park :)

Filipa Júlio disse...

isso tudo, ana : )
foi tão bom!