sexta-feira, 30 de julho de 2010




por exemplo, sentia de repente desejo de estar numa praia e de correr para o mar. imaginando o barulho das primeiras ondas sob as plantas dos pés, a entrada do corpo na água, a libertação que era para mim o banho de mar, sentia de repente até que ponto as paredes da prisão me cercavam.

adeus, até ao meu regresso.

(albert camus - o estrangeiro, 1942)

7 comentários:

Zé Caçador disse...

espinal medusa
musa
deste verão
dança na areia
como dança
no salão

(este saiu mesmo piroso)

Bêjos

m.a. disse...

Eeeehhhh, há quanto tempo!... Por acaso tb foi num verão...

Anónimo disse...

Zé Caçador, no querido mês de agosto nada soa a piroso; tudo é pretexto para abanar as carnes : )

m.a., eu também, eu também : )

(filipa)

Beatrix Kiddo disse...

adoro a selecção de dizeres por aqui **

Anónimo disse...

obrigada, Beatrix : )
(filipa)

Zé Caçador disse...

Moça, referia-me ao meu comentário versejante e não ao teu poste dançante.

Anónimo disse...

Zé Caçador, eu sei, mas cantei o comentário versejante em tom de loa tropicaleira - o que é mais do que pretexto para abanar as carnes : )

(filipa)