sexta-feira, 23 de abril de 2010




esta é a madrugada que eu esperava
o dia inicial inteiro e limpo
onde emergimos da noite e do silêncio
e livres habitamos a substância do tempo

25 abril, sempre!

(sophia de mello breyner andresen - 25 de abril, 1974)

13 comentários:

henedina disse...

:)

Ra disse...

Ay... qué bonito!

Caçador disse...

só que agora anoitece, anoitece e...
a noite trás o escuro e o frio e...

José Luís Espada Feio disse...

É milho-rei
milho vermelho
cravo de carne
bago de amor

filho de um rei
que sendo velho
volta a nascer
quando há calor.

José Carlos Ary dos Santos

25 de Abril, sempre!

m.a. disse...

"Emissores Associados de Lisboa"
23 e...
.
.
.
Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.
...

ci disse...

sempre!

Anónimo disse...

E (QUE) VIVA O 25 DE ABRIL!
(filipa)

ana barata disse...

Sempre!

Anónimo disse...

menina que anda em gincana, vives o 25 de abril sempre que podes escrever o que te dá na real gana numa caixa de comentários. blasfémia é pensar que isto são favas contadas.

ana barata, SEMPRE! : )
(filipa)

My One Thousand Movies disse...

4 meses depois, nasci eu :)

Anónimo disse...

geração cravo vermelho, portanto : )
(filipa)

menino mau disse...

excelente foto, faz-me pensar em magritte.

Filipa Júlio disse...

sim, consigo ver também : )