sexta-feira, 29 de maio de 2009






- they'll talk to you and talk to you and talk to you about individual freedom.
but if they see a free individual, it's gonna scare them.


(easy rider - dennis hopper, 1969)

9 comentários:

menina de porcelana disse...

olha, se for a avaliar por mim (que sou um péssimo exemplo mas adiante), eu vi 'este' indivíduo "livre", e assustei-me!

;P

(a liberdade tem 'destas coisas', leia-se, 'paradoxos'.)

Anónimo disse...

menina sanitana, não sejas tótó.
e a visualização deste filme, para esse efeito, é vivamente aconselhada, já agora.
(filipa)

Kalkito disse...

olha ele!
:)))

henedina disse...

"they'll talk to you and talk to you and talk to you about individual freedom. but if they see a free individual, it's gonna scare them." Não posso concordar mais. Mas o individuo livre deve saber que é livre e isso não o tornar uma pessoa difícil. Eu sou um individuo livre (e pago uma pesada factura por o(a)s assustar :)) mas as emoções fazem de mim, as vezes, tão escrava e difícil que perco toda a minha individualidade de indivíduo livre. Por isso, não há um indivíduo completamente livre porque se houvesse não teria emoções teria uma esquisofrenia emocional. (hoje estou "presa" a uma festa que organizo, por ex.)

m.a. disse...

Associação - escrita/imagem - perfeita!

Como interpreto a imagem? ... vejo uma expressão de susto/medo, soscitada por um polícia de arma apontada... :)

blue disse...

fantástica, Filipa!
eu cá, ao invés de ficar assustada, fiquei com um grande sorriso :D

Anónimo disse...

kalkito, olhó o olho arregalado dele :)

henedina, pois... não sei se percebi muito bem o que é a individualidade de indivíduo livre :I

m.a, estou com a blue, menos susto e mais riso :)

(filipa)

menina de porcelana disse...

peço desculpa. não queria ser tótó (mas nem sempre somos o que queremos).
queria, sim, dizer que acho muito verdade o que 'postaste'. parece mesmo que quando dizemos que queremos, nem sabemos ao que vamos. mas que a liberdade toda a gente a quer porque ninguém a tem. arrisco mesmo a dizer que todos a desejamos mas nem sabemos, exactamente, o que é. por isso depositamos nela todas as nossas melhores expectativas. e, sim, depois quando nos (a)parece, assustamo-nos.

enfim, ignorâncias. longo caminho esse entre a teoria e a prática...

(espero ter sido menos 'tótó'... ;P se não, olha, uns são livres. outros não lhe conseguem escapar. e ficam-se por ser tótós...

:P)

Anónimo disse...

menina eurocer, srl.,
pronto. meia tótó. meia livre. e meia meia por fazer ("diga lá minha menina de porcelana quantas meias vêm a ser")
:)
(filipa)